segunda-feira, janeiro 22, 2007


Menina pequena, dona de si, dona do mundo. Queria ser rosa, lilás, azul...porque sim. Veio a chuva, apagou a tinta, levou o sol e o cinzento empurrou o amarelo...porque sim. As lágrimas perdidas numa chuva ácida criada por si, corroi, doi...porque sim. Foi uma vida, foi simplesmente aquela, aquilo que ela queria...porque sim. Não ligou a mais nada, mais ninguém, perdeu-se no cheiro enebriante da sua pele, não era amilscar, não era mar, não era nada definivel, era simplesmente ele...porque sim. Perdida...porque sim. Não interessa o que perdi, o que tenho e o que vou perder ou não, tenho agora, cheiro agora, amo agora...porque sim.