quarta-feira, fevereiro 28, 2007


Não me dou por convencida, todos são propensos de me desiludir, de me fazer chorar, ficar boqueaberta, de abrir a ferida, de me fazer arrefecer ainda mais. Não é, só, incredibilidade na raça humana, nesta espécie infétida que hoje me repugna. Há, porém outros, outros que começo a crer que são algo mais, algo maior, algo que não foi tocado por algo mau, por algo doente e perverso. Só sei quem são esses outros quando me cheira a calma e maresia perto deles, sinto-me bem, respiro, encho o peito, rio, sorrio. Não agradeço a ninguém, não sei se creia que são deveras algo mais se é apenas uma questão de tempo. Hoje sinto-me só, amanhã também me vou sentir assim, mas não é assim que me sinto todos os dias? Onde estão as pessoas? aquelas que conheci e que me faltava o ar não ter, que me fazia ficar apaixonada e sardenta de riso e sol e praias escondidas nas nossas memórias de verão...ficaram algures, perderam-se...onde?...Algures...algures...