segunda-feira, março 24, 2008



Não se podem copiar coisas assim, não se podem imaginar coisas assim, seria contra-natura...Assim não seria tão perfeito, assim não seria tão genuíno... Meti-me num autocarro daqueles que as pessoas costumam divagar quando vêm o destino (767 Damaia) e passei por África em Portugal, no fim da rua uma loja chamada (em letras garrafais) SONS D´ÁFRICA e um pouco mais atrás uma tasca cheia de pessoas de pele mais escura a grelhar febras cá fora e a ouvir kizomba, o cheiro era de tal forma intenso que entranhava-se no autocarro...era um quadro pitoresco da Damaia. Cheguei ao meu destino, a minha adorada Maria, havia um picnic a realizar e tudo começava ali. Conversas e (ainda mais) afinidades descobertas, inclusivé a do papel higiénico, fomos às compras para o dito cujo picnic e perdemo-nos em cerelac, blédilac, bolachas do egas e do becas, tremoços, amendoins, pleno, aperitivos japoneses e coisas aterradoramente deliciosas. Compras feitas, mãe da Maria conhecida ( muito muito muito bom :D) e irmão da Maria "imbroglado" na boleia, chegaram a Vânia e o João e o set estava completo, destino? Sintra. Viagem parva, muito parva, chegámos a Sintra, a minha venerada Sintra, passámos por mil e um estrangeiros e caras desconhecidas, por fontes e depois de nos apercebermos que o parque ia fechar em meia hora, descemos as escadinhas mágicas para o magic spot. Estendemos a toalha e organizámos a paparoca, que agora já envolvia quiche da Maria, chamuças, croquetes e pasteis de feijão do nosso querido João e sentámo-nos, só depois nos apercebemos que foi em cima de urtigas, mas isso agora não interessa nada haha. A partir daí foi o regozijo total, riso? demasiado! Comida? Segundo a Maria, e passo a citar "se isto fosse para uma familia em África dava para um ano!"...refundidos em Sintra e a escurecer a parvoíce congénita tornou-se absolutamente deliciosa. é de noite, temos de ir andando, a cabeça está um balão de tanto rir e a lua é magnética. Juntaram-se a nós os nossos afamados Jajão e Chico e por entre indecisões e parvoíces, depois de um copo no Pavilhão Chinês e viagens de seis pessoas dentro de um Fiat Seissento (dont ask...) acabámos a comer cogumelos salteados em aziete e oregãos, batatas fritas de presunto e chipmix com doce de morango, groselha, leite e Baileys às 4h da manhã seguido de conversas sobre desenhos animados às 5h no quarto, em Oeiras... De manhã, tomando o sol como nosso inimigo nº1 e os óculos de sol como amigo nº1, decidimos que era hora de retornar às nossas cavernas escuras para hibernar... Provas disso? deixo-vos algumas, acima...

Post Scriptum - Para mais tarde recordar...e repetir...purum...