domingo, agosto 23, 2009






Nop, não há, na pa, rien, niente e coisas afins...


Tempo...


Para sentar e escrever...


Para pôr net em casa...


Para estar em casa...


Para não estar em casa...


Para tudo e para o que não existe...


Há...


Para o que importa e sempre importou...


Importará...


Sempre...


Assim que a net estiver, finalmente, viável, um conto merecido das histórias veranescas de um ano visto com lâmpadas de tungsténio...


E o que eu gosto da palavra tungsténio...