terça-feira, janeiro 19, 2010




Quando é que o relógio parou? Quando olho para ele é sempre a mesma hora...6h00 da manhã...a hora a mesma, o dia, outro...
O tempo esvaísse, a cabeça lateja, o coração muda de cor e a alma naufraga. Quero estar com eles e contigo e, acima de tudo, comigo. Bolas que eu já não estou comigo, perdi-me.
Mesmo exacerbado pelo ópio e pelo álcool, o Pessoa era um génio humanista, penso que ninguém alguma vez entendeu melhor a humanidade. Cómico, ninguém...entendeu melhor...a humanidade. Se calhar Deus quis sentir isto na pele e emergiu num corpo franzino e frágil, cabelo escuro e bigode cuidado. Dor no cérebro, na alma, no Universo.

Let them stop, let them all stop...no more clocks shall rule...just let them stop...