sábado, abril 17, 2010



Assustam-nos.

Vêm do nada.

Causam um misto de incerteza e ansiedade.

Ás vezes sinto-me vidente. Vejo, sinto, sei...que vai acontecer.

Tenho flash backs, mas são...flash forwards.

E um baque cá dentro, porque mesmo não sabendo se é ou não verdadeiro, enrolas-te na tua existência qual recém-nascido e equacionas que apesar do que terás de abdicar sabes que vai valer a pena.

Eu não sei e pode ser falta de modéstia, mas...eu acho, eu sinto, eu sei que...eu, tu...somos tão, mas tão mais...feitas para podermos ser mais...e eu sei que me compreendes e que provavelmente, és a única pessoa que sabe que isto, não é, de todo, presunção.

Não queremos estrelas no passeio da fama, nem tão pouco a nossa cara perseguidas por câmaras, queremos nascer-do-sol depois de uma noite longa, queremos frango de caril feito em casa e crepes a acompanhar, queremos a manta do sofá e, aquilo que é nosso, provavelmente pela "eneagésima" vez...a minha, a tua, a nossa vida, o nosso sopro.

De novo, porque (já) te encontrei, outra vez, isto faz, indubitavelmente, sentido.


Post Scriptum - et.omA