domingo, abril 11, 2010



"Bora fazer um interail?"
"Bora."
"Tou a falar a sério! Bora?"
"A sério, BORA!"
"então tá bem!"
...
"A sério que já falámos disto, mas nós temos mesmo esse karma, de tentar desenredar o novelo em que as pessoas se encontram. Não é falta de modéstia, é só olharmos à volta...é karma, a sério!"
...
"BOLO DE BOLACHA HUBA HUBA HUBA!"
...

Conversas desfasadas de almas preenchidas. Keep up with the times, new rule. Porque quando acordas aos 23 e olhas à volta tens tudo e nada. Tens a tua família, aqueles com que esbarraste na tua existência e te marcaram (e marcam) de tal maneira que o simples feito de estar longe deles te fazem cicatrizes emocionais. Tens os teus objectivos e a presença latente da falta de meios mas com toda a vontade de atingir os fins. E é para isso, que tiras o cu da cama, que apanhas o metro com ar de zombie a rezar que esteja sol para teres uma desculpa plausível para usar óculos escuros dentro do metro. A achares forças para fazeres cada dia diferente, mesmo que tenhas de repetir todos os dias onde se compra o Shout e explicares que "up to" não é mesmo que "lasts precisely". Não interessa, não importa, não é relevante. Não é. Porque o que te vai fazer mover é o bed spoon at night, são as gargalhadas que dás no trabalho, as parvoíces que fazes com os teus amigos porque te sentes tão à vontade que é quase uma out of body experience, as manhãs de sábado em que a ronha dá aso a olhar para o tecto azul e rir porque as formas das luzes reflectidas te lembram um caleidoscópio. É ir ao cinema, ficar em pulgas porque filmes das séries da tua infância estreiam, sentires-te tão criança quanto nerd por assumir que vias religiosamente os Trasformers, os Thunder Cats e o Esquadrão Classe A e ai de ti se te esqueces do McGyver!

Keep up with the times, o resto...carga nisso...o karma encarregasse disso...