segunda-feira, junho 16, 2008



Se eu te conseguisse falar como as palavras vivem em caos e depois numa espécie de ordem dentro desse caos ias certamente assustar-te comigo. Se te falasse da forma como preciso e nunca mas nunca o denuncio ias ver e ouvir coisas que nunca pensaste ser capaz em mim. Temos a vida toda pela frente. Sinceramente a grande maioria das vezes que ouço ou que eu própria digo isto fico com náuseas por não ver grande futuro. Esta era a tua deixa. Punhas a mão no meu ombro e perguntavas-me o que tinha e o que podias fazer para me ajudar. A questão é que eu mesma não sei. Não sei e nem sei sequer se alguma vez soube. Se me observares bem verás que assumo uma postura controlável e que jamais e em tempo algum me vês a desabar. Não, realmente não. Porque sou tão egoísta que guardo o pior de mim para mim mesma. Vives em mim. Não que o queira. E sei agora que viveres em mim e visitares-me de tempos a tempos seja talvez o meu bem. Mesmo que o não saibas e mesmo que nunca venhas a saber, vives. Cuidar de alguém é abdicar de nós por instantes e ainda assim sentir orgulho em nós no fim do dia ainda que as feridas sejam grandes e deixem chagas abertas. Tudo tem um tempo, um lugar e nós às vezes perdemos-lhe o rumo por querermos tudo neste instante. Mesmo que às vezes me vejas nos olhos o medo absurdo de não viver mais um dia não me vais ver a viver ou a tentá-lo fazer nesse único que me resta, aquilo a que tenho direito, aquilo a que me propus. Temos a vida. Toda. E as vezes que eu te dizia que tentar morrer era o mesmo que tentar viver? Lembras-te? Nunca percebias. Tentava dizer-te que tudo o que nós queremos é sentir as veias nos braços. Sentir o coração acelerado de vez em quando para não mergulharmos neste espaço de tempo em que já não dominas o teu corpo, as tuas palavras e as tuas vontades. Não te assustes comigo. Eu, como tu, apenas tenho alguma dificuldade em compreender as causas e as consequências de tudo começando por mim. E vives em mim porque te quero bem. Às vezes até mais do que a mim. Confiar em mim é uma acção difícil de delegar a alguém. Muitas vezes sou silêncio. Muitas vezes desapareço. Mas no fim do dia estou sempre para quem precisa e merece. De braços abertos mesmo que fechados para o menos atento, mas estou.

By, Maria Rocha

Post Sriptum - Subscrevo...

5 comentários:

Thiago disse...

Embora seja estranho sinto-me ligado a este texto.

Foi uma carta da alma que indica algo k vivemos todos os dias, mas mesmo assim guardamos espaço para quem merece, ou para a pessoa amada.

Beijos princesa e mt força ***

Kátia disse...

Sem mais...
??????
Não sei o que dizer.
:(
.....
Beijo e cheiro.***

Amsilva disse...

sub... escreves??
Andas assim tão, tão coiso, que nem te complicas nem te explicas??
pelo menos espero que essa viagem ao teu interior sirva de algo, e que seja bom esse algo!!
Bom estágio!
Beijo

somebody disse...

酒店經紀人,

菲梵酒店經紀,

酒店經紀,

禮服酒店上班,

酒店小姐,

便服酒店經紀,

酒店打工,

酒店寒假打工,

專業酒店經紀,

合法酒店經紀,

酒店暑假打工,

酒店兼職,

便服酒店工作,

酒店打工經紀,

制服酒店經紀,

專業酒店經紀,

合法酒店經紀,

酒店暑假打工,

酒店兼職,

便服酒店工作,

酒店打工,

制服酒店經紀,

be disse...

華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,