terça-feira, julho 15, 2008




In “Capitalismo e Globalização”

Quando Karl Marx formulou as teorias sobre o capital não imaginou as voltas que o mundo lhes iria dar. Por exemplo: estaria ele de acordo com esta concepção a que chamaremos simplificadamente de capitalismo ideal?

Você tem duas vacas.
Vende uma e compra um boi.
Multiplicam-se e a economia cresce.
Você vende a manada e fica rico.
Aposenta-se.

Talvez concordasse desde que todos pudessem fazer o mesmo, digo eu. Mas actualmente, com a globalização e as adaptações às culturas regionais dos vários países e regiões, será que se mantinha a bondade e a pureza conceptual acima expressas? É um estudo sociológico e económico interessante... Testemos pois, aplicando a situação da posse da parelha bovina a casos concretos. Comecemos - obrigatoriamente, claro está - pelo capitalismo americano:

Você tem duas vacas.
Vende uma.
Força a outra a produzir o leite de quatro vacas.
Fica surpreendido quando ela morre.

Capitalismo japonês:
Você tem duas vacas.
Redesenha-as para que tenham um décimo do tamanho de uma vaca normal e produzam vinte vezes mais leite.
Cria desenhos de vaquinhas chamados VAQUIMON e vende-os para o mundo inteiro.

Capitalismo inglês:
Você tem duas vacas.
Ambas são loucas.
Capitalismo holandês:
Você tem duas vacas.
Elas vivem juntas em União de Facto, não gostam de bois e estão no seu direito.

Capitalismo alemão:
Você tem duas vacas.
Elas produzem leite regularmente segundo padrões de quantidade e horário previamente estabelecidos, de forma precisa e lucrativa.
Porém, o que você queria mesmo era criar porcos.

Capitalismo russo:
Você tem duas vacas.
Conta-as e vê que tem cinco.
Conta de novo e vê que tem quarenta e duas.
Torna a contar e verifica que afinal só tem doze.
Pára de contar e abre outra garrafa de vodka.

Capitalismo suiço:
Você tem quinhentas vacas mas nenhuma é sua.
Cobra uma comissão para tomar conta delas.

Capitalismo espanhol:
Você tem duas vacas.
Tem muito orgulho nelas.

Capitalismo indiano:
Você tem duas vacas.
Ai de quem tocar nelas...

Capitalismo brasileiro:
Você tem duas vacas.
Reclama porque a manada não cresce.

Capitalismo português:
Você tem duas vacas.
Uma delas é roubada por alguém - até hoje não se sabe quem.
O Governo cria o IVVA - Imposto de Valor Vaccum Acrescentado.
É multado por um fiscal porque, embora você tenha pago o IVVA, o valor de cálculo era o número presumido de vacas e não o número real.
O Ministério das Finanças através de dados presumidos do seu consumo de leite, leite, sapatos de couro e botões presume que você tem duzentas vacas.
Para se livrar do sarilho oferece a vaca que lhe resta ao inspector das Finanças para que ele feche os olhos e dê um jeitinho...

Por ocasião de um trabalho de Ciências da Comunicação:

A idéia de capitalismo é genial, é deveras genial, Mas lá está, a teoria, a prática. Num capitalismo ideal todos teriam a sua “vaca” e ela produziria precisamente o necessário para que cada um de nós vivesse bem e feliz. Contudo, há sempre alguém que se acha mais esperto que o sistema. O capitalismo em si é uma máquina, dinheiro gera dinheiro e não há nada que a humanidade aprecie mais do que dinheiro. Dinheiro é símbolo de poder e é no poder que todos queremos estar. Ora veja-se, o mundo é regido por chefes de estado ( ou pseudo-chefes de estado, como o Bush). Temos países pobres, países remediados e depois temos os G8, as potências mundiais que retêm os valores líquidos mais cobiçados pelo PIB. Num panorama perfeito, o capital estaria bem distribuído e não haveria diferença de classes, como acreditava Marx, numa sociedade livre de classes e munida de igualdade entre os homens. Depois algo aconteceu, quando parecia que caminhávamos para uma rota preterida heis que surge o génio do mal do século XX, Hitler. Voltando um pouco atrás, vejamos, foi quando rebentou a loucura de Hitler na sua conquista pelo mundo que o mesmo se começou a “afundar”. A economia dependia quase toda dos passos de Hitler, e a guerra despoletada gerou grandes ascenções e riquezas, como é o caso dos Estados Unidos da América, que ganhou bens através da venda de armamento e mantimentos para uma Europa mutilada. Boltanski, na sua crítica anti-capitalista pretendia alertar, abrir os olhos a uma sociedade onde primava a burguesia e onde o povo, a classe operária, matava-se a trabalhar por uma riqueza que nunca veriam, já que essa riqueza era sugada pelos patrões e políticos corruptos. É claro que este tema leva, mais uma vez, ao maior problema da humanidade, o egoísmo. Podíamos ser todos felizes e iguais a todos os níveis? Podíamos! Isso acontece? É óbvio que não! Porquê? Porque vai haver sempre alguém, algures que se achará mais esperto que o vizinho e enriquecerá às suas custas. Deparamo-nos com uma a crítica social, desenvolvida pelo movimento operário tradicional, que denuncia a exploração dos trabalhadores, a miséria das classes dominadas, e o egoísmo da oligarquia burguesa que confisca os frutos do progresso, a crítica artistíca, apoiada em valores e opções de base do capitalismo, e que denuncia, em nome da liberdade, um sistema que produz alienação e opressão. Acho que devia haver um novo mote “mi casa, su casa” – “mi vaca, su vaca”. Talvez assim todos bebêssemos a mesma quantidade de “leite”.

By, Vanessa Lourenço.



3 comentários:

Kátia disse...

Profundo!

Um dia o sonho de Marx virou pesadelo e o que ele tentou difundir transformou-se em motivo de guerras absurdas.E a "vaca" que poderia ser de todos e para todos,tornou-se apenas(coitada)"bode" expiatório para sucessivas discussões em torno de quem tem mais para(não) dar.

E de cá fico igual ao Cazuza cantando:
"A burguesia,fede.A burguesia quer ficar rica.Enquanto houver burguesia,não vai haver poesia"
:)

Nota:É claro que ELE também era burguês,mas vale sempre ter a barriga cheia e viver de ufanismo --
sim?! não?! hummmm!?
:X

xá pra lá!

Beijo!

Uma Pessoa disse...

Ora bem.. pra já eu sou intolerante à lactose portanto a vaca não me serve mais que o boi. E aí pergunto eu, porquê a vaca? Sempre a vaca e nunca o boi? Egoismo? Ganância? Capitalismo?
E que tal sexismo??
O boi é um bicho com tanta ou mais produtividade que a vaca! Não me lembro de ver nenhum boi sentado no sofá a reclamar que "o jogo entre o SLOrdenha e o FCEncornados tá quase a começar por isso trás-me 'ma bjéca sua vaca!!" portanto comecemos por aí na batalha para tornarmos o mundo melhor! Abaixo com o sexismo!

Além disso, uma das grandes marcas alimentares capitalistas do mundo é famosa exactamente por usar carne de minhoca, o que deita essa teoria toda a baixo! Toma lá oh Marxista!! :P

Anónimo disse...

華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,
酒店經紀,
酒店工作,
酒店上班,
酒店打工,
禮服酒店,
禮服公關,
酒店領檯,
華麗夢想,
夢世界,